×

Busca

(635) registro(s) encontrado(s) para a busca: Feira de Santana
Feira de Santana / 27 de julho de 2020 - 12H 03m

Veículo cai em buraco com cerca de um metro de profundidade em Feira de Santana

Veículo cai em buraco com cerca de um metro de profundidade em Feira de Santana
Foto: Ed Santos - Acorda Cidade

Dandara Barreto
e-mail: [email protected]

O problema dos buracos nas vias de Feira de Santana tem sido a reclamação mais frequentes do feirense, mas um buraco gigante na Rua Bacelar de Castro, no bairro Chácara São Cosme, nos fundos do Feiraguay causou um acidente na manhã desta segunda-feira (27).
Um veículo caiu em um buraco, que segundo informações do site Acorda Cidade, é de uma obra da Embasa e há pouca sinalização. O condutor do veículo estava à caminho do trabalho e relatou que no momento do acidente chovia bastante e havia puca luminosidade. Ele disse que não havia sinalização alguma.
Segundo o motorista, o buraco tem mais de um metro de profundidade e é muito largo.
Uma equipe da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) foi ao local para remover o veículo

A produção do Blog do Velame entrou em contato com a Embasa , que informou que a intervenção na Rua Bacelar de Castro foi para correção de um vazamento de água em rede na tarde de domingo (26). De acordo com a Embasa, o local foi sinalizado após o serviço e o aterro do buraco realizado na manhã de hoje (foto anexa) – o aterro não foi realizado no mesmo momento devido às chuvas. A Embasa apura junto à empresa terceirizada que realizou o serviço se houve inobservância de padrões de sinalização no local.

Foto: Embasa

Veja o vídeo do carro submerso.

 

Feira de Santana / 27 de julho de 2020 - 10H 35m

Estabelecimentos poderão funcionar todos os dias em Feira de Santana com escalonamento de horário

Estabelecimentos poderão funcionar todos os dias em Feira de Santana com escalonamento de horário
Foto: Secom

Dandara Barreto
e-mail: [email protected]

Em novo decreto, o prefeito Colbert Filho (MDB) determinou a manutenção do funcionamento do comércio por mais duas semanas. Os estabelecimentos seguem funcionando de forma escalonada, mas poderão abrir todos os dias e por turno. Veja a tabela:

Fonte: Secom

O prefeito pontuou em coletiva online que a decisão foi tomada em virtude do número de vagas disponíveis para pacientes de covid-19 em leitos clínicos e de UTI. De acordo com ele, o Hospital de Campanha tem atualmente 69% de ocupação.

A abertura dos bares e restaurantes não estão inclusos no decreto que ainda será publicado no Diário Oficial do Município, mas segundo Colbert Filho, a categoria enviou diversos protocolos de funcionamento, mas ainda haverão outras reuniões para que a decisão de reabrir seja tomada.
“Vamos ajustar algumas dessas fórmulas para que isso ocorra mantendo a segurança, mas é necessário muito cuidado, pois o
que mais fechamos neste período foi bares que não respeitaram o decreto. Está na hora de darmos este passo, tendo em vista a grande quantidade de pessoas demitidas e de estabelecimentos que não poderão reabrir. Mas faremos isso de maneira segura”, afirmou.  

 

Feira de Santana / 21 de julho de 2020 - 20H 38m

Associação Comercial de Feira de Santana pede abertura de todo o comércio todos os dias

Associação Comercial de Feira de Santana pede abertura de todo o comércio todos os dias
Foto: Secom

Dandara Barreto
email:[email protected]

O primeiro dia da abertura do comércio após mais de 15 dias fechado, foi muito muito movimentado em Feira de Santana. As pessoas que foram às ao centro da cidade, viram, além de um fluxo muito grande de pedestres, muitas filas nas portas de boa parte das lojas.
De acordo com o presidente da Associação Comercial de Feira de Santana, Marcelo Alexandrino, essa grande movimentação poderia ser evitada, caso o comércio todo pudesse abrir todos os dias.
“Houve uma grande movimentação neste primeiro dia e nós entendemos que se as lojas pudessem abrir todos os dias, as aglomerações acabariam. Nós entendemos que o comércio não é o grande vetor de contaminação e Feira tem a situação da Covid-19 controlada, é claro que não gostaríamos que os números tivessem chegado a mais de 5 mil contaminados, mas diante de uma situação confortável dos leitos disponíveis no município, esta medida sera possível”, afirmou Alexandrino.
O empresário informou também que os comerciantes estão respeitando as medidas de prevenção nos seus estabelecimentos. “Entendemos que a Covid-19 é uma doença muito traiçoeira, por isso, os comerciantes estão tomando todos os cuidados não só com os seus funcionários, mas os clientes também estão sendo devidamente orientados. Precisamos voltar à normalidade e não queremos dar chance para a situação se agravar”. Marcelo Alexandrino também disse que a Associação Comercial espera contar com a sensibilidade do prefeito para a reabertura de bares e restaurantes em breve e fez o apelo aos feirenses para que eles só se dirijam ao comércio quando for extremamente necessário.

 

Feira de Santana / 21 de julho de 2020 - 05H 55m

Número de infectados por covid-19 caiu 30% em Feira de Santana

Número de infectados por covid-19 caiu 30% em Feira de Santana
Gráfico: Jornal Folha do Estado

As medidas de restrições impostas pela Prefeitura podem ter surtido efeito. De acordo com o jornal Folha do Estado, o número de novos casos da covid-19 em Feira de Santana vem apresentando queda nas últimas três semanas. O levantamento publicado pelo jornal na edição desta terça-feira (21), mostra que a cidade registrou 1.065 casos entre 22 e 28 de junho quando atingiu o pico da doença. De lá pra cá os números só caíram. Entre 29 de junho e 5 de julho caiu para 10.17, na semana seguinte caiu para 813 e na última semana 13 a 17 de julho a cidade registrou 743 casos. Uma redução de 30% se comparado com a semana do pico, a maior já registrada na Bahia. A reportagem completa está disponível no Jornal Folha do Estado.   O Blog do Velame apurou que em 11 de julho, o Hospital de Campanha feirense tinha os 18 leitos de UTI ocupados. Os leitos clínicos chegaram a ter 75% de ocupação. Atualmente a unidade apresenta a menor ocupação: 37% leitos clínicos e 50% na UTI.

Feira de Santana / 20 de julho de 2020 - 10H 41m

Confira o que pode funcionar em Feira de Santana a partir desta terça-feira

Confira o que pode funcionar em Feira de Santana a partir desta terça-feira
Foto: Secom

A Prefeitura de Feira de Santana divulgou a lista dos estabelecimentos que poderão voltar a funcionar a partir, desta terça-feira (21). São eles: lojas de cama, mesa, banho, tecido, calçados, moda e acessórios, papelaria, despachantes e corretoras, refrigeração e artigos de piscina, salão de beleza, barbearia, shoppings, galerias e Feiraguay (lojas par). Os deliverys  seguem liberados para funcionar 24h.  O transporte coletivo urbano segue funcionando até às 20h. Restaurantes, bares, academias e escolas seguem sem definição de quando poderão retornar as atividades.

Confira os dias de funcionamento de cada segmentos nas tabelas abaixo:

Feira de Santana / 19 de julho de 2020 - 15H 24m

Subnotificação das arboviroses maquia as estatísticas em Feira de Santana

Dandara Barreto
e-mail: [email protected]

Quase três mil pessoas tiveram alguma arbovirose em Feira de Santana somente esse ano. De janeiro até o dia 17 de julho de 2020, data do último boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Feira, 1.495 casos de Dengue e 1.232 de Chikungunya foram confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde.
Mais de 8 mil pessoas procuraram a vigilância epidemiológica do município para relatar a suspeita da doença.
De acordo com o boletim, os bairros com maior número de casos de Dengue são; Brasília (418), Tomba (271), Conj. Feira X (194), Campo Limpo (180), Centro (170), Parque Ipe (143), Aviário (122), Mangabeira (114), Papagaio (98) e Jardim Acacia (96). Os distritos com maior números de casos são; Dist. Maria Quitéria (167), Dist. Humildes (65), Dist. Bonfim de Feira (65), e Matinha (32).
O bairro Brasília também lidera em números de casos confirmados de Chikungunya, com 489 casos, em seguida vem; Tomba (187), Campo Limpo (156), Parque Ipê (135), Centro (107), Mangabeira (103), e Santa Monica (103). Os distritos com maior números de casos são; Dist. Maria Quitéria (165), Dist. Bonfim de Feira (127), Dist. Humildes (46) e Jaíba (42) e Dist. Matinha (37).

Subnotificação

Os números são preocupantes, mas nem de longe representam a realidade. Isso porque a subnotificação que sempre foi muito grande, aumentou ainda mais com a pandemia do Novo Coronavírus. Por medo da exposição, muita gente prefere não buscar atendimento médico,  logo, muitos casos não são notificados.
Foi o que aconteceu com a maquiadora Emanuele Porto, moradora do bairro Feira X. Ela e o esposo manifestaram sintomas como febre e dores de cabeça e dores musculares. A princípio, eles buscaram uma unidade de saúde para fazer o teste de Covid 19, mas não conseguiram, pois, de acordo com o profissional que os atendeu, os sintomas não eram compatíveis com a doença. Em seguida, surgiram as manchas pelo corpo e as dores nas articulações se intensificaram. Emanuele diz que acredita que teve chikungunya, já que mesmo após um mês, continua acometida pelas dores.
“Eu não busquei atendimento médico por dois motivos: eu sentia muita indisposição corporal para enfrentar a espera de um atendimento numa unidade de saúde e tive medo de me expor ao risco de ser contaminada com a Covid 19”.
Emanuele cogitou a possibilidade pagar pelo exame na rede particular, mas se surpreendeu com o custo do exame. “O exame para chikungunya é muito caro. Na maioria dos laboratórios, custa mais de R$500,00. Sem requisição, não pude fazer pela rede pública”, explicou.
O médico Allan Corsini, que atende na rede pública aqui em Feira de Santana, informou que as arboviroses são maioria dos atendimentos nas unidades de saúde. Ele disse, que os casos de Covid-19 têm crescido muito, mas Dengue e Chikungunya continuam sendo o motivo da grande procura dos pacientes pelo atendimento médico.
De acordo com ele, a subnotificação ocorre inclusive dentro das próprias unidades de saúde.
“O volume de pacientes diariamente é muito grande. Nós estamos vivendo um momento de surto e as equipes de trabalho não dão conta de fazer a notificação. Na maior parte das unidades, não existe um profissional voltado apenas para isso. Este é um grande problema, porque se o profissional parar para fazer a notificação, atrasa os demais atendimentos e as pessoas não podem voltar para casa sem ser atendidas”, revelou o médico.

Automedicação 

Para Allan, esse ano em particular, o problema se agravou com a pandemia da COVD-19. Devido à orientação médica de o paciente não procurar atendimento a menos que sejam casos de extrema importância, junto com a subnotificação, cresce também a auto medicação e em doenças como a dengue, por exemplo, existe um risco de agravamento no quadro clínico, como hemorragias e por isso, algumas medicações devem ser evitadas. Ele orienta como o paciente deve proceder ao sentir os primeiros sintomas.
“Se um indivíduo sentir os sintomas que levam a suspeita de arboviroses ou de coronavírus, é indicado procurar a unidade básica de saúde para ser medicado, orientado e se necessário, encaminhado para uma unidade de maior complexidade como a Upa ou um hospital. Caso tenha sintomas mais graves, é recomendado procurar diretamente essas unidades”.
Os sintomas graves de dengue são dor abdominal intensa, náuseas e vômitos que não passa, desmaio, queda da pressão, sonolência, queda da pressão. Em caso de coronavírus, o sintoma de alarme mais evidente é a falta de ar.
O médico lembra que tanto as arboviroses quanto o coronavírus, tem os primeiros sintomas muito parecidos e isso dificulta o diagnóstico, por isso, o atendimento médico é imprescindível.
“O profissional vai se ater aos sintomas específicos e levar em consideração o quadro respiratório para identificar a doença e tratá-la adequadamente”, conclui.

Combate ao mosquito

Ciente da situação, a Secretaria Municipal de Saúde/Vigilância Epidemiológica divulgou em boletim que vem adotando medidas de prevenção e controle do Aedes aegypti com objetivo de diminuir os índices de infestação vetorial e quebrar a cadeia de transmissão da doença. O texto traz um alerta para o aumento do número de casos de arboviroses e ratifica que a situação epidemiológica continua a demandar dos profissionais de saúde da rede pública e privada a necessidade de identificação precoce dos possíveis casos suspeitos da doença, de modo a ofertar o cuidado em tempo oportuno, bem como do importante papel e apoio da comunidade no controle do vetor.

Feira de Santana / 19 de julho de 2020 - 12H 27m

Prefeito Colbert decide reabrir o comércio em Feira de Santana

O prefeito Colbert Filho decidiu, neste domingo (19), que vai determinar a flexibilização gradual do comércio de Feira de Santana. A nova deliberação vale a partir de terça-feira (21). Entre as atividades flexibilizadas estão lojas em geral e shopping centers. Amanhã (20) prevalece o decreto municipal com o escalonamento e o limite de 200 metros quadrados. Já na terça começa a valer o novo decreto, com mais flexibilização. A determinação ocorre após reunião com secretários municipais e membros do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19. Uma tabela com as novas medidas de flexibilização será publicada pela prefeitura com todas as explicações. A baixa taxa de ocupação de UTIs neste momento na cidade pesou na decisão do prefeito. “Chegamos neste domingo com ocupação de 50% nos leitos de UTI do Hospital de Campanha e dos 40 leitos do Hospital Geral Clériston Andrade apenas cinco estão com pacientes. Nós temos que administrara a crise com essa maleabilidade, observando sempre a questão da saúde, da vida. Se lá adiante for preciso reduzir mais as atividades econômicas, voltaremos a reduzir”, explica o prefeito. Os detalhes serão divulgados, nesta segunda-feira (20), quando a Prefeitura de Feira vai promover coletiva on-line sobre o balanço das ações de combate ao coronavírus na cidade. Colbert também avaliou como muito positivo a restrição de circulação nos últimos dias. “A população colaborou quase que 100% e com certeza nós teremos um resultado positivo no combate à pandemia. É preciso ter consciência que estamos vivendo uma situação excepcional e, portanto, medidas inéditas e por vezes duras devem ser adotadas”.

Feira de Santana / 18 de julho de 2020 - 21H 50m

Sindicato alega ilegalidade no fechamento de postos de combustíveis em Feira de Santana

Prefeituras do Estado da Bahia têm decretado o fechamento de postos de combustíveis durante a pandemia, contrariando o Decreto federal 10.28/20 que regulamentou a Lei 13.979/20, incluindo a produção de petróleo, distribuição e comercialização de combustíveis, gás liquefeito e demais derivados de petróleo como atividades essenciais. Sobre os decretos municipais, o presidente do Sindicombustíveis Bahia, Walter Tannus Freitas, declara que são absurdos e ilegais. “A restrição ou fechamento de postos de combustíveis na pandemia é ilegal e absurdo, particularmente o decreto municipal de Feira de Santana. Estamos vivendo tempos difíceis e temos que colaborar para evitar a disseminação do vírus, mas fechar os postos de uma cidade tão importante para a Bahia, no maior entroncamento rodoviário do Nordeste, é inadmissível”, comenta Tannus, acrescentando: “ temos deixado de atender ambulâncias, transportando paciente;  e viaturas policiais. Além disso, como ficam os caminhoneiros sem um lugar para passar a noite, para descansar?”, questiona.  O presidente do sindicato dos revendedores de combustíveis da Bahia chama a atenção para o fato da revenda ter um protocolo de procedimentos para funcionar durante esse período de pandemia com o segmento laboral e o Ministério Público Federal. “Estamos falando de um serviço essencial para a população”, ressalta Tannus. Um vídeo enviado pela assessoria do Sindicato mostra o momento em que uma ambulância que estava de passagem por Feira de Santana precisou abastecer e o posto estava fechado.

Feira de Santana / 18 de julho de 2020 - 19H 07m

Feira de Santana registra 101 mortes por Covid-19

O Relatório sobre Covid-19 em Feira de Santana, divulgado neste sábado, 18, mostra que a cidade passou a marca de 100 mortes registradas pelo novo coronavírus. O total, entre 6 de março e 18 de julho, é de 5.807 casos e 101 óbitos. Segundo Secretaria Municipal de Saúde, o total de pacientes internados atualmente na cidade é de 68 pessoas e  3.3005 pessoas já se recuperaram da doença. Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.581 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +1,3%), 55 óbitos (+2,0%) e 4.781 curados (+5,0%). Dos 120.238 casos confirmados desde o início da pandemia, 99.704 já são considerados curados, 17.741 encontram-se ativos e 2.793 tiveram óbito confirmado de Covid-19.​ A marca foi alcançada no mesmo dia que o jornal Correio publicou uma reportagem mostrando Feira como polo irradiador de covid-19, segundo avaliação do comitê científico do Nordeste. Clique AQUI para ler a matéria assinada pela jornalista feirense Thais Borges.
Feira de Santana / 17 de julho de 2020 - 18H 36m

Faculdade de Feira de Santana anuncia volta das aulas presenciais

A Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana (UNEF) e a Faculdade Nobre apresentaram aos alunos um protocolo de retorno às aulas presenciais. O comunicado foi enviado essa semana para todos os estudantes dos cursos de saúde e nele constam as medidas para retomada progressiva das atividades.  O retorno, marcado para segunda-feira, 20, vale para cursos com atividades nas clínicas e espaços que prestam serviços de saúde para população em geral. Para isso, o Grupo Nobre, que controla as duas faculdades, solicitou uma liberação para vigilância epidemiológica da Prefeitura de Feira, que autorizou o retorno das atividades de saúde nas instituições. “Desde que atendam as orientações e normas técnicas de prevenção e precaução da pandemia”, diz o ofício assinado pela Secretária de Saúde Denise Mascarenhas e pela Responsável Técnica da Vigilância, Francisca Lúcia Oliveira. Dois estudantes ouvidos pelo Blog do Velame demonstraram preocupação com a volta. Sem querer se identificar, uma estudante de Odonto afirmou que os alunos não foram ouvidos. “Todos estão assustados porque mesmo com todos os protocolos que serão adotados, nós somos estudantes e estamos aprendendo, por isso nosso risco é maior. Perdemos o direito de errar. Se a gente errar podemos nos contaminar ou contaminar alguém”, disse. Um estudante de enfermagem contou que não foi dada opção aos discentes. “É abandono de semestre ou volta às aulas no meio da pandemia”, lamentou. Os espaços liberados para atividades são: Clínica Escola de Odontologia UNEF, Clínica Escola de Fisioterapia Grupo Nobre, Clínica Escola de Nutrição Grupo Nobre, Clínica Escola de Psicologia Grupo Nobre, Ambulatório de Enfermagem Grupo Nobre e Ambulatório de Chikungunya Grupo Nobre. No manual de protocolos enviado aos alunos constam diversas medidas que devem ser adotadas como: uso obrigatório de máscara, luva e protetor facial, além de higienização das mãos e medição de temperatura.  A capacidade de atendimento também será reduzida em 50%.  O Grupo Nobre foi procurado pela reportagem e divulgou a seguinte nota:

Em virtude dos vários comentários que têm surgido em grupos de WhatsApp e demais redes sociais, a UNEF esclarece que é inverídica a notícia de que a IES conseguiu na justiça o direito de retornar com as aulas presenciais no seu campus. Deixamos claro, ainda, que a UNEF preza e se preocupa com a integridade física da comunidade acadêmica, bem como a dos seus funcionários e colaboradores, e não colocaria isso em risco por benefício próprio. As aula teóricas e práticas continuam suspensas, os únicos serviços que voltarão ao seu funcionamento normal, atendendo a todos os protocolos, e baseados na autorização do Poder Executivo Municipal, são os associados às Clínicas-Escolas, que prestam à sociedade atendimentos psicológico, fisioterapêutico, odontológico, distribuição de medicamentos, os quais já haviam sido iniciados no início do ano letivo e precisaram ser interrompidos em decorrência da Covid-19.

Histórico

2019
set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2018
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2017
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2016
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2015
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2014
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2013
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2012
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2011
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2010
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2009
dez | nov | out | set | ago | jul | jun | mai | abr | mar | fev | jan
2008
dez | nov